Ano novo japones

Nada de roupa branca, abrir champanhe ou pular sete ondas. O oshougatsu, Ano-Novo japonês, é diferente do réveillon ocidental.

O Ano-Novo japonês, oshougatsu, é a comemoração mais importante do calendário do arquipélago. Além da passagem do ano velho e chegada do novo, a festa continua por mais três dias ou até uma semana. O comércio, os bancos e as empresas fecham suas portas em um feriado nacional. Mas engana-se quem imagina que os nipônicos celebram esse réveillon vestidos de branco, bebendo champanhe ou pulando sete ondas em uma praia para depois cair na folia em um Carnaval fora de época, como ocorre no Brasil.

Muitos japoneses até se dirigem às praias mais famosas do arquipélago, como a ilha de Odaiba, em Tokyo, para ver shows de artistas de J-pop ou danças tradicionais, em uma festa que normalmente termina com uma modesta queima de fogos. Considerado sagrado pelos japoneses, o oshougatsu é, acima de tudo, uma data reservada para que a pessoa possa se purificar, fazer orações e dar boas-vindas ao ano que se inicia.
Conheça a seguir os principais costumes japoneses do oshougatsu. Mas antes uma curiosidade: em vez de saudar o futuro, como os ocidentais fazem ao dizer “Feliz Ano-Novo”, os japoneses agradecem pelos favores obtidos no ano que está terminando, dizendo: “Akemashite omedetou gozaimasu!”

Um mês antes

A limpeza que purifica
A preparação para o oshougatsu começa cedo. Em novembro, as donas de casa japonesas fazem verdadeiras faxinas em suas residências, que chamam de oosouji, uma espécie de purificação. Acredita-se que é preciso entrar no novo ano com tudo limpo. Algumas aproveitam para colocar tatamis novos nas casas e trocar o papel utilizado nas divisórias ou portas corrediças (shouji). A limpeza se estende às empresas, e os funcionários são convocados para, em mutirão, dar uma geral no ambiente de trabalho. Também é costume fazer uma limpeza no segundo dia do ano.

Na vespera 

As 108 badaladas dos sinos dos templos
Noite de 31 de dezembro. Em todo o Japão, é possível ouvir os sinos dos templos entoando as 108 badaladas para recepcionar o Ano-Novo. A cerimônia, conhecida como joya no kane, relembra os japoneses dos 108 pecados existentes no homem, segundo o budismo. Mas não são somente os budistas que aderem a essa tradição. Para a maioria dos japoneses, é hora de buscar a purificação e saudar o ano que chega.


Refeições do ano novo 


Como não se pode trabalhar nos dias do oshougatsu, as donas de casa japonesas têm de preparar as refeições para os três dias antecipadamente e com alimentos que possam durar esse período sem que se estraguem. Surgiu, assim, a tradição de comer toshikoshi-soba (um tipo de macarrão) na última noite do ano. Outra tradição é beber saquê doce (otosô), que começa a ser servido pela manhã. Segundo os antigos, o vinho de arroz japonês traz saúde e vida longa. Sendo assim, saúde, ou, em japonês: kampai!

A refeição de Ano-Novo é o osechi-ryouri, um banquete especial que inclui diversos pratos preparados antes das festividades, dispostos em uma caixa de madeira laqueada (juubako).


Ozouni

1221_anonovo_ozouni.jpgOzouni

O principal prato é o ozouni, uma sopa à base de mochi, vegetais, frutos de mar e, às vezes, carne. Quem come o ozouni no oshougatsu terá sorte e a graça dos deuses durante o ano. Uma lenda levada pelos chineses ao arquipélago há mais de mil anos afirma que quem comer mochi no Ano-Novo estará comendo o espírito do arroz, enriquecido pelos deuses. O bolinho de arroz que compõe o prato é oferecido aos deuses antes das comemorações do oshougatsu.


Agradecimento aos Deuses

1221_anonovo_kagamimochi.jpg

Kagamimochi

No oshougatsu, não pode faltar o kagamimochi. Feito de dois bolos de arroz (mochis) dispostos um sobre o outro e decorados com papel japonês, folhas de matsu (semelhantes a folhas de pinheiro) e daidai (espécie de laranja nipônica), o kagamimochi é colocado sobre um altar como forma de agradecimento aos deuses budistas e xintoístas, especialmente Toshigami, o deus que, segundo a lenda, costuma visitar as residências no Ano-Novo.

1221_anonovo_heisoku.jpg
Heisoku

Enfeite que simboliza a boa sorte e a proteção das casas contra o mal, o heisoku é uma dobradura sem corte confeccionada em papel japonês (washi). Ele deve ser feito pelo chefe da casa ou, na falta desse, pelo primogênito. As mulheres não podem fazê-lo, pois isso poderia gerar ciúmes na deusa Amaterasu, a quem é dedicado.

1221_anonovo_hatsumoude.jpg

Hatsumoude

A primeira visita ao templo
Após a meia-noite do dia 1º de janeiro, os japoneses já começam a ir aos templos para fazer orações por saúde e felicidade no novo ano. Essa primeira visita é chamada de hatsumoude.


O primeiro nascer do sol
De acordo com a religião xintoísta, o Sol é o deus mais importante do Universo. A partir dessa crença, nasceu a tradição de que fazer orações no primeiro nascer do sol do Ano-Novo, hatsuhinode, traz alegria e prosperidade para o ano todo.

1ª Semana do Ano

Feriado nacional
No oshougatsu, empresas, órgãos públicos, bancos e escolas suspendem suas atividades. Do dia 1º ao 3, o país pára, pois a tradição japonesa diz que nesses dias não se deve trabalhar. Isso porque pode-se espantar o deus da Felicidade. O período é reservado para o descanso, as tradições e recepcionar o novo ano. A maioria das empresas estende essas “férias” por uma semana.

A dança do leão
Essa dança, shishimai, tem o objetivo de exorcizar os espíritos malignos. Um homem vestido de leão e um flautista saem pelas ruas, executando uma dança em frente das casas para atrair sucesso material às famílias. À medida que se apresentam, são recompensados com dinheiro.


Kakizome - caligrafia japonesa 


Nos primeiros dias do ano, as crianças se reúnem para fazer a primeira caligrafia do Ano-Novo, kakizome. No país, são organizadas competições e exibições dos trabalhos infantis.


Hagoitas



No oshougatsu, meninos e meninas costumam se divertir com brinquedos que, embora utilizados em outras épocas do ano, possuem um significado especial no período. Os garotos costumam jogar pião (koma) e empinar pipas (takoage), e as meninas jogam peteca (hanetsuki) com suas raquetes, as hagoitas, ricamente decoradas.

Koma 

Agrado ao chefe
No mês de dezembro, os japoneses presenteiam seus superiores e pessoas a quem devem favores com um agrado. O costume, denominado oseibo, é o responsável por um aumento de até 50% nas vendas das grandes lojas de departamentos do arquipélago.

Para as crianças
As crianças japonesas adoram o oshougatsu. Não é para menos, pois elas recebem de seus pais e parentes presentes em dinheiro (otoshidama), que vêm dentro de envelopes.

Cartões de Ano-Novo
Os neganjous japoneses têm a importância dos cartões de Natal para a cultura do Ocidente. Às vezes, são desenhados pelos próprios remetentes. Um dos temas preferidos dos desenhos é o zodíaco chinês que comanda o novo ano que, em 2006, será do cão.

Decoração


Proteção contra o mal
Muitas famílias japonesas costumam pendurar o shimenawa nos portões ou nas portas das casas para evitar o mal. Durante o ano, essa decoração — que é feita com uma corda trançada com folhas de matsu — pode ser vista guardando as entradas dos templos xintoístas como uma espécie de limite entre o lugar sagrado e o mundo.


Longevidade e alegria
Confeccionado com bambus e folhas de matsu, o kadomatsu simboliza a longevidade e a alegria. O arranjo é colocado na entrada das casas ou em outros lugares estratégicos para trazer boa sorte.


Share on Google Plus

About Say me

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.